A Transmutação do ser

.posts recentes

. O Principezinho

. Sobre a Liberdade

. Estou de volta!

. Que opções tem o homem na...

. Filosofia para quê?

. Ser Herói

. Reflexão

. Contemplando a Natureza

. "É uma questão de discipl...

. Aprender com Fernão Capel...

.arquivos

. Outubro 2012

. Abril 2012

. Maio 2010

. Dezembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

Terça-feira, 2 de Setembro de 2008

Saberemos o que é a cortesia?

 

Nos dias que correm, muitas pessoas esqueceram o que é ser cortês, ou o verdadeiro sentido da palavra cortesia. O termo cortesia, derivado de court (corte) era usado para designar o conjunto de qualidades do nobre e o modo de viver da aristocracia. A cortesia não é apenas o código de etiqueta próprio do modo de vida da corte, mas uma verdadeira moral idealizada da elite feudal. É uma noção muito concreta, ainda que muito ampla, pois supõe a perfeição moral e social do homem: lealdade, generosidade, valentia, boa educação, convivência, concórdia, etc. Aquele que é cortês sabe que não é o centro do mundo, é uma pessoa que pensa nos demais e em seus sentimentos, tal como o cavaleiro fazia, que colocava o bem-estar da sua rainha e do seu reino acima da sua própria vida. A cortesia tem de nascer do coração pois é um acto de generosidade. Gastón Courtois disse que a cortesia "é filha do respeito ao próximo e irmã da caridade".

Esta deve estar presente sempre, e em tudo, ou seja, não basta sermos generosos e até colaborar de vez em quando com instituições de caridade, é preciso também, por exemplo cortesia no diálogo, pois esta é a ponte perfeita para uma boa conversa, há que ter a noção que: o que é interessante para mim pode não o ser para os outros, então, há que parar e escutar também, o silêncio também se pode partilhar, aliás, esses momentos de silêncio entre dois amigos podem ser muito importantes para a alma, pois esses são os momentos em que esta se pode manifestar. Eu, que passo o dia entre crianças, vejo cada vez mais a urgência em lhes ensinar a importância da cortesia e dos valores, pois infelizmente, a sociedade em que vivemos tende a afastá-los cada vez mais do verdadeiro caminho. Nós, que estamos mais perto delas, devíamos tentar instruí-las, pois como dizia o famoso filósofo: “Educai as crianças e não será preciso castigar os homens”. Claro que para lhes podermos ensinar a elas, temos primeiro que nos instruir. Uma dica para nos facilitar esta dura tarefa que é ser corteses: trabalhem a atenção, ou seja, estejam atentos ao que dizem, pensam e falam, pois no dia em que o conseguirmos, estaremos mais próximos.

A cortesia é um dos alicerces para cimentar o nosso crescimento interior, esta deve reflectir-se nos nossos actos, pensamentos e emoções, só assim a nossa Alma é livre de seguir crescendo.

 

Reflictam! Será que somos verdadeiramente corteses?

 


publicado por Psiqué às 22:49

link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De Hermeticum a 3 de Setembro de 2008 às 12:25
Mais um excelente artigo. Estás a habituar-nos mal!
A cortesia é algo díficil de conseguir. Implica atenção e vontade.
Dizias que "a ponte perfeita para uma boa conversa, há que ter a noção que: o que é interessante para mim pode não o ser para os outros" Concordo e acrescentaria que cabe à pessoa mais consciente arranjar o ponto de convergência entre os dois "mundos" e pautar a conversa a partir daí. Este ensinamento foi-me transmitido por uma pessoa muito próxima de ti e que, posso garantir-te, consistiu numa viragem notória na minha vida.
Muito se pode dizer sobre o que falaste no artigo, mas para não "castrar" potênciais comentários futuros, vou fazer silêncio que também é bom.


Comentar post

.Informações Pessoais

.pesquisar

 

.Outubro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.links

blogs SAPO

.subscrever feeds